Meditação contra a dor

Até mesmo a meditação de curto prazo ajuda a lidar com a dor, diz um estudo publicado no outro dia. Isso pode parecer estranho, porque a dor dificulta a concentração - não há lugar para meditação. Mas você não pode discutir com a ciência.

Um estudo sobre este tema foi realizado por cientistas da Universidade da Carolina do Norte, cujos resultados foram ontem. Na verdade, a ideia não é nova: na última década, os neurofisiologistas vêm explorando detalhadamente o efeito sobre a síndrome da dor. Já se sabe que a prática a longo prazo pode reduzir o limiar da dor, isto é, a sensibilidade de uma pessoa à dor. O problema é que poucos pacientes modernos estão dispostos a gastar esforço, tempo e dinheiro suficientes em meditação prolongada. Para esses pacientes, cientistas da Carolina do Norte prepararam uma boa notícia: até a meditação de curto prazo - por vinte minutos ao longo de três dias - ajuda a lidar com a dor.

"Este é o primeiro estudo que demonstra a eficácia de tal meditação de curto prazo para reduzir a dor", diz Fadel Zeidan, autor do estudo. “Os sujeitos, em comparação com o grupo controle, sentiram menos dor não apenas diretamente durante a meditação, mas também depois dela”.

A reação a um choque elétrico tangível, mas seguro para a saúde em três grupos foi investigada por três experimentos: meditação, relaxamento e técnicas de distração. Pesquisadores registraram como a sensação dolorosa muda com estímulos dolorosos condicionalmente altos e baixos, assim como sensibilidade geral à dor. Descobriu-se que técnicas de distração, como tarefas matemáticas, aumentavam o limiar de percepção da dor severa em comparação com o grupo de controle, mas a meditação efetivamente reduzia as sensações de dor forte e fraca. Além disso, o efeito da meditação persistiu após o final da prática.

Os resultados do estudo parecem convincentes, mas para mim, pessoalmente, a questão permanece: como, se uma dor de dente, por exemplo, está atormentando, pare de subir na parede, expire e comece a meditar? Infelizmente, os pesquisadores omitem detalhes práticos semelhantes. Talvez um de vocês tenha chegado a essa descoberta por experiência e possa compartilhar recomendações específicas sobre como fazer isso?